O que posso esperar?

                                     Salmo 39,1-14

jesus91

 2 Eu disse: “Vou vigiar a minha conduta, para não pecar com a língua; vou tapar com mordaça a minha boca, quando o injusto estiver presente”. 3 Eu me calei, em silêncio. Segurei-me para não falar, e minha dor tornou-se intolerável. 4 Por dentro o coração me queimava. Ao pensar nisso, o fogo se inflamava. Então soltei a minha língua. 5 Mostra-me o meu fim, Javé, e qual é a medida dos meus dias, para eu saber o quanto sou frágil. 6 Olha: os dias que me deste são um plano apenas, e a minha duração é um nada diante de ti.  Sim, todo homem não passa de um vazio, todo homem é apenas aparência. 7 O homem vai e vem como sombra, e labuta por um nada: amontoa, e não sabe quem vai recolher”. 8 E agora, Senhor, o que posso esperar?  Em ti se encontra a minha esperança. 9 Livre-me de minhas transgressões todas, não me deixes como ultraje para o insensato! 10 Eu me calo e não abro a boca, pois quem vai agir és tu! 11 Afasta de mim a tua praga, pois eu sucumbo  ao ataque da tua mão! 12 Castigando o erro, tu educas o homem, e como traça tu róis os tesouros dele. Os homens todos são apenas um sopro! 13 Javé, ouve a minha prece! Dá ouvido aos meus gritos! Não fiques surdo ao meu pranto: porque sou hóspede junto a ti, inquilino como os meus antepassados. 14 Afasta de mim o teu olhar, e deixa-me respirar! Antes que eu me vá, e já não exista mais!

“Súplica do justo desanimado diante das dificuldades e brevidade da vida. O justo procura agüentar calado até onde pode. A razão principal é que o injusto, ao ouvi-lo reclamando, certamente dirá: “Não lhe disse que é bobagem ser justo?” Por fim vem o desabafo: “Que sentido tem uma vida tão curta? O homem é máscara vazia, e passageira como a sombra! Faz tudo por nada, e não tira nenhum proveito”. Ato de confiança total, que inclui um desafio ao próprio Deus: o justo se comprometeu de corpo e alma com o projeto de Deus. Agora é Deus quem deve responder pela honra e sentido da vida do justo. A súplica final é um pedido para que Deus abrande suas exigências. O justo é hospede e inquilino de Deus, e o hospedeiro deve tratar bem aqueles que recebeu em casa”.

Reflexão:

                Senhor daí ouvidos ao clamor deste sofredor, desta vitima da língua afiada, deste sopro, tão apenas sopro; é um desabafo do homem caluniado e perseguido, o que fazer diante de tudo isso? Que eu possa ser o seu hospede e o seu inquilino meu Deus, pois já perdi as forças, o animo, estou em desespero, que o meu pranto se transforme em verdadeira súplica que sai do meu coração e suba até voz. Meu Deus eu bem sei que não é bobagem ser justo diante de Ti. “Vinde depressa socorrer-me Senhor Deus; sou pobre e não tenho mais forças, e de voz tudo posso; certo de que se Deus é por nós quem será contra nós?” (Autor desconhecido) Sejas abençoado em abundancia pelo Deus da paz e das misericórdias. Amem! Assim seja.  

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s