Alimento e descanso para todos

Êxodo 16,1-16

AS-CODORNIZES-E-OS-HEBREUS1 Toda a comunidade de Israel partiu de Elim e chegou ao deserto de Sin, entre Elim e o Sinai, no dia quinze do segundo mês após a saída do Egito. 2 Toda a comunidade de Israel murmurou contra Moisés e Aarão no deserto. 3 dizendo: “Era melhor termos sido mortos pela mão de Javé na terra do Egito, onde estávamos sentados junto à panela de carne, comendo pão com fartura. Vocês nos trouxeram a este deserto para fazer toda essa multidão morrer de fome!” 4 Javé disse a Moisés: “Farei chover pão dos céus para vocês: o povo sairá para recolher a porção de cada dia, para que eu o experimente e veja se ele observa minha lei, ou não. 5 No sexto dia, porém, eles deverão preparar o que recolheram, e será o dobro do que recolherem nos outros dias”. 6 Então Moisés e Aarão disseram a toda a comunidade de Israel: “À tarde vocês saberão que foi Javé quem os tirou do Egito. 7 E, pela manhã, vocês verão a glória de Javé, porque Javé ouviu as murmurações que vocês fizeram contra ele. Que somos nós, para vocês murmurarem contra nós?” 8 Moisés disse mais: “Esta tarde, Javé dará carne para vocês comerem e, pela manhã, pão com fartura, pois ele ouviu as murmurações que vocês fizeram contra Ele. Quem somos nós? As murmurações de vocês não são contra nós, e sim contra Javé”. 9 Moisés disse a Aarão: “Diga a toda a comunidade de Israel: ‘Aproximem-se de Javé, pois ele ouviu as murmurações que vocês fizeram’”. 10 Enquanto Aarão falava a toda a comunidade de Israel, olharam para o deserto e viram que a glória de Javé aparecia numa nuvem. 11 Javé falou a Moisés: 12 “Eu escutei a murmurações do filhos de Israel. Diga-lhes que comerão carne à tarde e, pela manhã se fartarão de pão. Assim ficarão sabendo que eu sou Javé seu Deus”. 13 À tarde, um bando de codornizes cobriu todo o acampamento e, pela manhã, havia uma camada de orvalho ao redor do acampamento. 14 Quando a camada de orvalho se evaporou, na superfície do deserto apareceram pequenos flocos, como cristais de gelo. 15 Ao verem, os filhos de Israel perguntaram: “Que é isso?”. Porque não sabiam o que era. 16 Moisés disse-lhes: “Isso é o pão que Javé lhes dá para comer. E são estas as ordens de Javé: cada um recolha o quanto lhe basta para comer: quatro litros e meio por pessoa, conforme o número de pessoas que se achem na sua tenda.

“Desta vez a murmuração é contra o próprio Javé, pois o povo prefere o lugar da escravidão e da morte ao próprio Javé, que é a libertação voltada para a vida. Diante das dificuldades, a grande tentação é trair o projeto de libertação, vendendo “A preço de banana” a liberdade já conquistada. Note-se que a colheita do maná deve obedecer uma distribuição igualitária: todos tem o mesmo direito aos bens, de tal modo que não faltem e não sobrem para ninguém.”

REFLEXÃO:

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. Amados irmãos e irmãs, observemos como é rica nossa reflexão de hoje, o povo se volta contra o próprio Deus reclama da libertação e prefere a escravidão e se lamenta por ter seguido Moisés até o deserto. Não confiam no Deus que operou maravilhas diante de seus olhos, eles viram cada uma das pragas que caiu sobre o Egito, viram também Deus abrir o mar e eles passarem no meio das águas a pé enxuto enquanto que os egípcios foram todos submergidos. Murmuram então contra este Deus, que luta em favor deles do outro lado vemos o amor e a paciência de Deus, que não se aborrece com as murmurações de seu povo mas apesar disso atende os seus murmúrios e mostra mais uma vez que ele é realmente Deus e que não existe outro além dele, ensiná-os ainda que se cada um colhe conforme a sua necessidade não falta nem sobra o alimento para ninguém. Assim todos têm a dignidade para viver. Se hoje vivêssemos a partilha ao invés do egoísmo veríamos que também em nosso tempo haveria dignidade para todos e não teríamos necessitados em nosso meio. Quanto aos murmúrios é próprio do ser humano que não se realizou em sua vocação estar descontente com tudo, porque ainda não respondeu ao chamado que Deus lhe fez. Muitas pessoas têm dificuldade de responder a Deus porque não consegue por em pratica uma frase que rezamos sempre na Oração do Pai Nosso. “Seja feita a Vossa Vontade”. Nós rezamos isso, mas o que queremos realmente é que a nossa vontade seja feita e isso é a causa da maior parte das murmurações. Peçamos então a Deus a graça de nos colocarmos nas mãos Dele e permitir que Ele tome a direção, para que em tudo se realize a vontade Dele em nossas vidas. Assim Seja. PAZ E MISERICÓRDIA!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s