Reconhecimento e glorificação do justo

Ester 6,1-14

Mardoqueu_1 Nessa noite, o rei não conseguiu dormir. Então pediu que lhe trouxessem o livro dos Anais ou Crônicas. E o leram para ele. 2 Aí se contava como Mardoqueu tinha denunciado Bagatã e Tares, funcionários do rei e guardas da porta que estavam planejando um atentado contra a vida de Assuero. 3 E o rei perguntou: “Que premio ou recompensa foi dada a esse Mardoqueu?” Os cortesãos que serviam ao rei responderam: “Não lhe deram nada”. 4 Então o rei perguntou: “Quem está no pátio?” Nesse momento, Amã estava chegando ao pátio externo do palácio, para pedir ao rei que mandasse enforcar Mardoqueu, na forca que ele havia preparado. 5 Os cortesãos responderam: “É Amã quem está no pátio”. O rei ordenou: “Mandem que ele entre”. 6 Amã entrou, e o rei lhe perguntou: “Como se deve tratar a um homem, a quem o rei quer honrar?” Amã pensou: “E quem é que o rei vai querer honrar, senão a mim?” 7 E respondeu: “Se o rei quer honrar alguém, 8 peguem vestes reais como as que o rei usa, tragam o cavalo que o rei costuma montar, e coloquem na cabeça dessa pessoa uma coroa real. 9 Entreguem as vestes e o cavalo a um dos mais altos oficiais, e esse mesmo revestirá com a tal roupa o homem a quem o rei quer honrar. Depois o conduzirá a cavalo pela praça da cidade, gritando na frente: “É assim que deve ser tratado o homem que o rei quer honrar”. 10 Então o rei disse a Amã: “Depressa. Pegue a roupa e o cavalo e, tudo isso que você acabou de dizer, faça para Mardoqueu, o judeu funcionário da corte. Não omita nenhum pormenor do que você falou”. 11 Amã pegou a roupa e o cavalo, revestiu Mardoqueu e o conduziu a cavalo pela praça da cidade, gritando na frente: “É assim que deve ser tratado o homem que o rei quer honrar”, 13 Depois disso, Mardoqueu voltou para seu posto no palácio, enquanto Amã corria para casa, chateado e cobrindo o rosto. 13 Contou a sua mulher Zares e aos amigos tudo o que havia acontecido. Zares e seus amigos lhe disseram: “Você começou a decair diante de Mardoqueu. Se ele é de raça judaica, você não poderá nada contra ele. Pelo contrário, você cairá completamente diante dele. Você não poderá defender-se dele, porque o Deus vivo está com ele”. 14 Ainda estava falando, quando chegaram os funcionários do rei e levaram imediatamente Amã para o banquete preparado por Ester.

“O livro vai chegando ao ponto culminante, em que as situações se invertem. A revisão da história traz sempre à tona a justiça e o trabalho dos oprimidos. Agora os poderosos se vêem forçados a reconhecer e glorificar as suas vítimas. Note-se que Amã é obrigado a fazer em honra de Mardoqueu o que nunca havia conseguido que Mardoqueu lhe fizesse. É através da persistência teimosa dos justos que Deus inverte o sujeito da história, para criar uma nova sociedade, onde a justiça triunfa”.

REFLEXÃO:

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. Amados irmãos e irmãs, eu sempre ouvi um provérbio, embora não gosto, mas na história de Ester percebemos que isto vai acontecer com o primo de Ester. “Um dia o feitiço voltará contra o feiticeiro”. Pensava que era conto de fadas, porém, hoje através de Amã, vemos que é real. Amã, agora prepara uma forca para Mardoqueu, e quer elevar a si mesmo as honras que o rei quer a alguém, o qual Amã, acredita ser ele. Mas o que aconteceu? É através da persistência teimosa dos justos que Deus inverte o sujeito da história, para criar uma nova sociedade, onde a justiça TRIUNFARÁ. E veremos muito mais ainda. Aguarde! PAZ E MISERICÓRDIA!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s