Deus ouviu o clamor do seu povo

Ester 10,1-3l

judaismo-1— O rei Assuero impôs tributo aos habitantes do continente e das ilhas. 2 Para  suas  vitórias  militares e o relato em pormenores da dignidade a que o rei elevou Mardoqueu, podem ser consultados os Anais do reino  Média  e da Pérsia: 3  O judeu Mardoqueu era o primeiro depois do rei Assuero. Foi um homem considerado pelos judeus e amado por seus muitos compatriotas, porque buscava o bem do seu povo e se preocupava com a prosperidade de sua nação. 3ª Mardoqueu comentou: “Essas coisas aconteceram por obra de Deus. 3b Lembro-me do sonho que tive sobre esses fatos, e nenhum deles foi omitido: 3c a pequena fonte que se torna rio, a luz que se levanta o sol e a água abundante. O rio é Ester, que o rei desposou e constituiu rainha. 3d Os dois dragões, somos eu e Amã. 3e As nações, são aquelas que se coligaram para destruir o nome dos judeus. 3j Meu povo é Israel, aqueles que invocaram a Deus e foram salvos. Sim, o Senhor salvou o seu povo, o Senhor nos libertou de todos esses males.  Deus realizou sinais e prodígios, como nunca houve entre as nações, 3g Por isso, ele estabeleceu duas sortes: uma para o povo de Deus, e outra para as nações. 3h Essas duas sortes se realizaram na hora, no momento e no dia estabelecido do julgamento diante de Deus, e em todas as nações. 3i Deus se lembrou do seu povo e fez justiça para a sua herança. 3j Os dias catorze e quinze do mês de Adar serão celebrados com assembléia, alegria e contentamento diante de Deus, em Israel, seu povo, por todas as gerações e para sempre. 3l No quarto ano de Ptolomeu e de Cleópatra, Dositeu, que se dizia sacerdote e levita, e seu filho Ptolomeu, trouxeram a presente carta sobre os “PURIM”. Eles a consideraram autêntica e traduzida por Lisímaco, filho de Ptolomeu, que era da comunidade de Jerusalém.

“Conforme o decreto o povo tinha o direito de se defender, desarticulando os mecanismos que visavam a destruí-lo. Quando procura realizar a justiça, o povo se torna temido. Ao mesmo tempo, a não-realização de saques mostra que a prática da justiça não pode ser pretexto para agir em proveito pessoal. A festa dos “Purim” era provavelmente uma festa popular, talvez de origem estrangeira. Depois foi assumida pelo povo judeu, adquirindo então significado libertador. Preservar essas festas é manter acesa a esperança das gerações que continuam a lutar por sobrevivência e vida digna. É lastimável que essas festas populares muitas vezes acabem a transformá-las em meios para controlar e explorar o povo”.

REFLEXÃO:

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. Amados irmãos e irmãs, se relermos este livro de Ester, hoje veríamos quantos testemunhos de pessoas fiéis a Deus, principalmente olhando para a rainha Ester, ela que teria tudo para conquistar o rei em seu próprio favor, mas esta não era a sua proposta de vida, ao contrário, sempre viu o lado do seu povo que era perseguido. Os seus inimigos acabaram por pagar muito caro tudo o que eles planejavam para a destruição do povo da rainha Ester. Isto porque não era uma mulher má, mas sim uma mulher temente a Deus bondosa para o seu povo; foi drástico demais, vê Amã; levar o seu rival como um rei e na forca que ele preparou para Mardoqueu ele mesmo foi suspenso. Conhecemos bem aquele provérbio que disse: “Quem com o ferro fere com o ferro será ferido.” Isto é real. Que Deus nos dê a graça de procurar sempre fazer o bem seja até mesmo para os nossos inimigos, pois a Lei do retorno é certa. PAZ E MISERICÓRDIA!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s